sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Chile: Loma Larga Cabernet Franc 2014

A cabernet franc é minha paixão desde sempre.

Une complexidade e disponibilidade, num jeito mágico de ser.

Sou suspeito para falar da Loma Larga também pois deles gostei de todos os vinhos já bebidos.

Este cabernet franc, com 93 pontos no descorchados, traz muita fruta e muita coisa novo mundista hoje em dia tão mal falada por tantos que dessa fonte beberam durante anos, mas conjugadas à muita acidez e tensão, conferindo a esse vinho uma interessantíssima vontade de beber mais um gole. Frutas, álcool, herbáceos comportados, dulçor, madeira, acidez, tudo lá funcionando belamente. Ainda merece mais uns dois anos na garrafa, vai evoluir belamente com certeza.

I am very much in love with Cabernet Franc since always. It is approachable and yet complex, this one unites new world wines characteristics and an intriguing acidity and minerality provoking your mouth and forcing you to drink more. Delicious.

Nota -> 4 de 5.       Preço -> R$ 126,00.       Site -> Loma Larga.


sábado, 2 de junho de 2018

A Falta de Educação de Roubar Fotos na Internet Sem A Devida Referência

Blogs de vinho pululam na internet.

Ok, o assunto e as garrafas invariavelmente serão os mesmos, mas se quer usar a foto, custa ser educado e fazer a referência?

O colega abaixo usou MINHA foto e nem referência fez. No mínimo achou que não tinha porque, visto que o blog dele é mais visto e tal.


Link do ladrão de foto: https://falandoemvinhos.wordpress.com/2016/09/16/vinicola-hiragami-e-destaque-no-concurso-mundial-de-bruxelas-edicao-brasil-2016/comment-page-1/#comment-661

Meu link: http://bebadovinho.blogspot.com/2016/05/brasil-torii-sauvignon-blanc-2014.html

Observem as datas.

Papelão hein colega?


quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

Brasil: Cattacini Gewurztraminer 2015

Há tempos não escrevo. Resolvi fazer um novo post por conta do prazer que é beber um vinho branco
delicioso nesse calor.

O que me impressiona na Cattacini é a qualidade de seus vinhos, que na minha modesta opinião tem seu ponto alto nos deliciosos e frescos brancos que nos apresenta a cada ano.
Como esse senhor ousa fazer vinhos de uvas quase desconhecidas do grande público, ainda mais vinho branco? Que audácia.
Ainda bem.

Além de um vinho extremamente refrescante, floral, mineral e muito prazeroso de se beber, com ótimo volume e final de boca pedindo mais, ainda por cima é apresentado com rolha e garrafa de primeira qualidade. Um abuso de 1300 garrafas apenas.

Agora que achei um caminho mais curto para comprar essas preciosidades, devo dizer que quando pensar em vinho branco, a Cattacini é a primeira opção disparado.

Voltarei para escrever a respeito do Quíron Chardonnay e do Trebbiano, que estão gelando na minha geladega, aguardando o momento para serem degustados.

E deixo a dica: o Peverella deles vai MUITO bem com comida japonesa.

O termo Clos, é utilizado na França para designar vinhedos cercados por muros, em geral pequenos e de alta qualidade. Foi escolhido para nomear o Gewurztraminer Cattacini, pois as vinhas que fizeram este vinho são cercadas por uma taipa, como é conhecida na região sul do Brasil este tipo de construção. Saúde!


Nota -> 4 de 5.

Preço -> promoção da Cattacini, pacote com 3 garrafas (valeu cada centavo).

Site -> Cattacini Vinhos.

domingo, 20 de agosto de 2017

Argentina: El Enemigo Malbec 2014

Falar de Malbec é fácil. Beber Malbec é fácil. Encontrar um Malbec diferente que ao mesmo tempo traz as maravilhosas características dessa deliciosa uva, e entusiasmar-se novamente com ela, não é tão fácil. Mas aconteceu com esse vinho.
Delicioso, está perfeito, prontíssimo a meu ver. Todas as maravilhosas características da Malbec, as frutas maduras, as violetas, a textura, aliadas a um frescor ótimo, um fim de boca que te faz pedir mais. Leva cerca de 15% de Cabernet Franc, que certamente deram uma pitada especial a esse vinho.
O melhor Malbec que bebi sem dúvida, e um dos melhores vinhos do ano.

Forget about standard Malbecs and eternal reocurrence of the same style. This one is quite different. Another great wine from Alejandro Vigil, this one brings everything we love in Malbecs, allied to a 15% Cabernet Franc. The result is something you just cannot stop drinking. The texture, the tannins, the nose, freshness, juicy without being boring. If you love Malbec, you HAVE to taste it. 

Scores: 90 WE; 91 ST; 92 RP; 94 TA.

Nota -> 4.5 de 5.      Preço -> cerca de R$140,00.      Site -> El Enemigo Wines.

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Argentina: El Enemigo Cabernet Franc 2014

Sim, sou amante da Cabernet Franc, sim gostei do El Enemigo Cabernet Franc 2011, e sim resolvi voltar!

Abri-o achando que ainda deveria dormir um pouco mais porém, ainda que certo disso, o vinho estava delicioso. Escuro, os tons violetas dominam. Cerejas, cassis e outras frutas vermelhas aparecem junto a especiarias, notadamente pimenta preta, sendo notados cedro e baunilha, isso tudo no conjunto nariz+boca. Algo de menta ou eucalipto de vez em quando. Geralmente apresenta um corte leve de Malbec no conjunto, mas acho que esse é 100% Cabernet Franc.

Tentei apreciá-lo devagar mas a garrafa desapareceu, achei até que estava vazando mas não foi o caso. Uma maravilha. 96 pontos dados pelo Tim Atkin MW, 91 RP e James Suckling e 90 na WE (acho o pessoal da WE muito preconceituoso com os vinhos do cone sul).

Na Mistral é a safra da vez, se for comprar recomendo ao menos duas, uma para apreciar agora e outra para guardar por mais uns dois anos pelo menos.

This excellent Cabernet Franc from the rock and roll wine wizard Alejandro Vigil, the winemaker of Catena Zapata and probably the major responsible for the recent all-eyes-on Gualtallary area in Mendoza. Great ageing potential but ready to enjoy, pushing cassis and sweet spices right into your nose and palate, together with ceddar, vanilla, currants and black pepper with hints of eucalyptus in mouth. Amazing. Tim atkin gave it 96 points, 91 Wine Advocate and James Suckling and the Wine Enthusiast (I am not a Enthusiast of them) 90 points.


Nota -> 4,5 de 5.

Preço -> cerca de R$130,00.

Site -> El Enemigo.

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Portugal: Ciconia Tinto 2015 #CBE

Post atrasado, tema de julho, já havia bebido esse vinho e muito me agradou, continuou a agradar. O tema foi dos colegas Maykel e Anna do Vinho por 2. "No ano de 2016 o segundo maior importador de vinhos do Brasil foi um supermercado. Por isso, nada melhor do que comentarmos o que tem de bacana nas gôndolas, falando de qualquer tipo de vinho, de qualquer faixa de preço, que seja encontrado em supermercado".

Este vinho foi comprado num mercado da rede Hortifrutti. Touriga Nacional, Syrah e Aragonez dão cor púrpura com traços rubi, fazem um grupo de uvas com muitos aromas de frutas vermelhas e frescas, mas como se ainda não estivessem totalmente maduras, interessante. Ainda se pesca um tostadinho e talvez um floral de leve...
Na boca é bem fresco, fluido, taninos educados e final curto. Mais frutinhas e algo levemente apimentado. Gostoso o vinho, se dá muito bem com comida e é ótima pedida pra um pizza mais "forte" na minha opinião.

Touriga nacional, Syrah and Aragonez (also called Tinta Roriz in Portugal and is the same as Tempranillo in Spain) make a purple ruby hinted fluid, not very concentrated, showing many and beautiful red fruit on the nose, sometimes lightly toasted. This is the main quality of this wine.
The mouth comes fresh and fast, bringing more fruits and pepper. Interesting, good for food and maybe very good for pizza.


Nota -> 3.5 de 5.

Preço -> cerca de R$60, é importado pela Cantu.

Site -> Herdade São Miguel.

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Portugal: Casa das Mouras Reserva Tinto 2012 #CBE

Vinho bebido para a postagem da CBE para o mês de agosto, o tema foi proposto pelo Gil do ótimo Vinho para Todos: um tinto do Douro. Todo dia primeiro de cada mês há um novo tema desta que é a mais antiga confraria virtual em atividade no Brasil!
Digo e repito: os vinhos da península Ibérica têm um lugar especial no meu coração. Mas esse me deixou um pouco chateado, acredito que não tenha sido armazenado corretamente pois já havia provado esse vinho em outra ocasião e havia me dado uma impressão muito boa.

Bom, Touriga Nacional+Touriga Franca+Tinta Roriz descansam 12 meses em barris franceses; com 5 anos ainda apresentou uma cor violeta, digna de um garoto. O nariz trouxe frutas vermelhas maduras e um fundo suave de baunilha, mas todos muito tênues. Na boca uma lembrança meio balsâmica junto às frutas, taninos já macios porém presentes, e um final que parece ser comprido mas termina antes do que ensaiou.

O rótulo achei bonito e representa a visão do artista Nuno Barreto sobre a propriedade.

Touriga Nacional, Touriga Franca and Tinta Roriz (also known as Aragonez and Tempranillo), 12 months ageing in french oak barrels. Violet colour, berries dominating the aroma with a soft vanilla background, sometimes you taste something balsamic. Fine tannins with a medium length finish. I was expecting more but maybe it was not well maintained, as I did not bought it from a wine store but from a supermarket and here in Brazil not all of them give the proper attention to the bottles.


Nota -> 3 de 5.

Preço -> R$99,00 no Hortifrutti.